(11) 3938-3133 | WhatsApp (11) 99002-9873 CONTATO@ESCOLAGRAPHITE.COM.BR
DICAS

Da representação gráfica à diagramação, veja como essas dicas te ajudarão a projetar e apresentar melhor seus trabalhos.


Mais um semestre começando e a mesma promessa: “Desta vez vou caprichar, vou começar o projeto bem antes, fazer todos os desenhos lindos, a maquete e ainda vou dormir oito horas antes da entrega!”

E num piscar de olhos lá está você novamente, com olheiras, sem dormir, sem comer, entregando qualquer coisa, feliz por ter conseguido terminar e rezando para o professor gostar.

Não existem regras e nem passo a passo que vão garantir que você se dê bem na hora de apresentar seu projeto, mas algumas dicas podem te ajudar bastante a chegar lá.

Representação Gráfica
Uma boa representação gráfica é fundamental, não só para suas entregas de Projeto na faculdade, mas durante toda a sua vida profissional. Esta é forma que nós arquitetos expressamos nossas ideias e assim podemos ser compreendidos tanto por outros arquitetos quanto por engenheiros, projetistas, mestres de obra e profissionais envolvidos para que uma edificação saia do papel e se torne realidade de forma bastante fiel ao projetado. 

É imprescindível que você saiba se comunicar bem e corretamente através dessa linguagem para que as suas ideias sejam compreendidas pelo professor que irá analisar o seu projeto. Sem contar que uma boa representação gráfica faz qualquer projeto saltar aos olhos.

Tomar decisões
Nunca esqueço o primeiro semestre, em um atendimento de Projeto quando o professor me disse a seguinte frase: Arquitetura é tomar decisões.

Ele não me disse isso à toa, eu sofria com medo de decidir algo “errado” e tirar uma nota ruim. Foi a minha primeira grande lição.

Acontece que na arquitetura tudo é muito relativo, o que é bom para um não é para o outro, então tomar uma decisão será muito mais fácil se você tiver um bom embasamento, seja através de dados estatísticos, geográficos, estimativas, tendências, previsões, testes, estudos, referências ou simplesmente tomar uma decisão pautada no tempo e nos recursos que estão disponíveis naquele momento.

E o mais importante não é somente tomá-las, mas banca-las e saber lidar com as consequências, tanto as boas quanto as ruins (acredite, toda decisão sempre terá os dois lados).

Buscar e estudar referências
Falando em embasamento, um aspecto muito importante para se dar bem em projeto são as referências. Ninguém está na faculdade para reinventar a roda ou para ter ideias revolucionárias.

Este é justamente o momento para você adquirir bagagem cultural, entender o que foi feito no passado e a razão de ter sido feito daquele jeito, observar o que está sendo feito hoje e estudar quais são os fatores que estão influenciando estas características atuais (o tal do Zeitgeist). Somente assim você terá repertório para projetar e criar de acordo com os fatores que estão em sua realidade. Não tenha receio de dizer que seu projeto foi baseado nos conceitos do projeto de outro (a) arquiteto (a).

Aproveitar melhor os atendimentos
Não deixe para projetar somente durante as aulas de Projeto. Me sinto a tia velha falando isso, mas é verdade. Crie o hábito de sempre rabiscar alguma coisa na sua casa, no caminho do trabalho, no final de semana enquanto o (a) namorado (a) assiste TV ou na praia com os amigos. Leve sempre seu caderninho.

Reserve os atendimentos para tirar suas dúvidas, para explorar melhor uma ideia interessante ou discutir referências com seu professor para desenvolver melhor o que pensou. Se puder, vá para a aula com uma lista com os itens a serem abordados e saiba aproveitar bem esse tempinho que já é disputado.

Não se assuste se durante o atendimento o professor for duro e rigoroso. Embora cada um tenha uma didática, no geral o objetivo de todos é de te instigar a ir além dos seus limites (não que eu concorde, mas se for o seu caso assista ao filme Whiplash e entenda melhor o conceito).

Olhe para a sua grama
A grama do vizinho sempre é mais verde. Mas, e daí? A sua pode ser da cor que você quiser. Amarela, lilás, azul, verde claro. Ou ainda pode ser desalinhada, alta ou baixa. Você é o dono dela, experimente, faça, desfaça, faça de novo e cultive bem ela com carinho.

Olhe sim o quintal dos vizinhos, mas olhe com propósito de se inteirar do que acontece ao seu redor e não acabar alienado no seu próprio mundo. Nunca para julgar ou para se auto flagelar.

Quando se sentir travado, busque ajuda. Peça opiniões diferentes, olhe outras referências, procure outros professores. Filtre todas essas informações e tome a sua decisão, banque-a e lembre-se sempre: o projeto é seu, nem melhor ou pior que o outro. Você é o responsável por ele.

Apresentação e diagramação
“O projeto do colega nem era tão excepcional e o professor deu um notão só porque a prancha era bonita.” – Não. – O notão provavelmente foi por que a prancha dele estava bem estruturada, permitiu uma boa leitura do projeto e fez com que os conceitos ficassem claros e coesos.

Um projeto bem embasado em referências e pautado em conceitos coerentes será consequentemente um bom projeto. Um bom projeto consequentemente permitirá uma fácil diagramação na hora de montar uma prancha. Uma prancha bem organizada, clara e com uma boa comunicação visual consequentemente será bonita. E tudo isso sim merecerá um notão.

Pânico do último minuto
Não menospreze o pânico do último minuto. Ele também pode ser muito funcional e fatalmente ele acontecerá na semana da entrega. É ele que te ajudará a definir e cumprir metas.

Faça primeiro um check-list do que precisa ser entregue. Estime quanto tempo você terá para se dedicar ao projeto nos dias seguintes e quantas horas você quer dormir por noite. Divida seu tempo disponível pelas tarefas que você precisa fazer.

Ter um tempo definido para cada tarefa te forçará a tomar decisões mais rapidamente e a finalizar seu trabalho dentro do tempo estipulado.

                                                                                            ***

 

Por fim, é importante sempre manter a calma e não se desesperar, pois isso acaba te tirando do estado racional e só irá te atrasar. Praticar, praticar e praticar te levará a fazer as atividades com muito mais rapidez e de forma intuitiva.

Durante o semestre, lembre-se sempre de observar e anotar quanto tempo você leva para fazer os desenhos, maquetes, 3D e etc. Isso te ajudará a estimar e distribuir seu tempo na véspera da entrega, reduzindo o risco de imprevistos, te permitindo trabalhar com mais tranquilidade.

Autoconhecimento e a busca de aprimoramento te ajudarão sempre, em tudo na vida.

Imagem: Arquivo pessoal